Vale tudo, o musical

Já foram anunciados vários eventos e shows internacionais para esse ano, mas a minha maior expectativa é para um espetáculo bem brazuca.

“Vale tudo, o musical” aterrissa aqui em São Paulo no dia 9 de março, após uma temporada de muito sucesso no Rio de Janeiro.

Ele conta a história de um dos maiores artistas brasileiros, Sebastião Rodrigues Maia, mais conhecido como Tim Maia. Sua vida foi marcada por muitas polêmicas e pelo seu vício em álcool e drogas, fatores que contribuíram para o falecimento precoce do cantor, aos 56 anos, no dia 3 de março de 1998. Algumas curiosidades:

– O astro não conhecia limites, falava exatamente o que pensava. Foi apelidado por Jorge Ben Jor de “síndico do Brasil”. Tião chegou a expulsar um jovem de olhos tristes e cabelo cacheado de seu grupo Os Sputniks. O nome do menino? Roberto Carlos. Mais tarde, o Rei inverteria o jogo: ele e Erasmo lideravam a Jovem Guarda e Tim implorava por uma chance nos programas de TV. Anos depois, seria proibido de se apresentar na TV Globo, por sua conduta desregrada. (Fonte: Portal Editora Abril)

– Tim Maia foi eleito pela revista Rolling Stone Brasil o 9º maior artista da música brasileira (Fonte: Rolling Stone Brasil)

"O que eu quero...é sossego"

O encarregado de dar vida ao protagonista do espetáculo é o jovem Tiago Abravanel, 24 anos. Sim, você já ouviu esse sobrenome em algum lugar. Ele é neto do meu, do seu, do nosso ídolo mor Senor Abravanel, vulgo Silvio Santos.

E parece que ele anda mandando muito bem no papel de Tim, tanto que a concorrente do vovô (Globo) anda sondando o ator para fazer parte do seu elenco em 2012.

Tiago Abravanel

Por aqui os ingressos começam a ser vendidos no dia 31/1. Fica a torcida para que a turnê se estenda pelo Brasil todo. Enquanto isso, vamos de chocolate!

São Paulo em 3 canções

No próximo dia 25, a cidade que todo mundo ama odiar (como diria a revista Veja dessa semana), completa 458 aninhos de vida. Existem muitas músicas que se dedicam a falar sobre essa metrópole estranha de gente esquisita, então fiz um TOP 3 dessas canções. Faltam muitas músicas boas aí (principalmente do grupo Demônios da Garoa), mas essas são as que eu mais me identifico. Vamos lá:

1 – Ladeira da memória – Grupo Rumo

Essa São Paulo mostrada no clipe é do ano de 1983, e dá para perceber que não mudou muita coisa desde então. Mas é legal observar como eram as ruas, os prédios, o comércio e o paulistano da década de 80. Gosto especialmente desse clipe porque essa é exatamente a ladeira que eu desço todo o dia para trabalhar rs.

“Olha as pessoas descendo, descendo, descendo 
Descendo a Ladeira da Memória 
Até o Vale do Anhangabaú 
Quanta gente!
Vagando pelas ruas sem profissão 
Namorando as vitrines da cidade
Namorando, andando, andando, namorando
O céu ficou cinza e de repente trovejou
E a chuva vem caindo, caindo, caindo…”

2 – Não existe amor em SP – Crioulo

Essa música fez um baita sucesso em 2011, e deu ao rapper Criolo os prêmios de melhor música, melhor CD e de revelação do ano. Acho que ela descreve de uma forma muito sensível essa relação de amor e ódio que todos os moradores de São Paulo sentem.

“Não existe amor em SP
Um labirinto místico
Onde os grafites gritam
Não dá pra descrever
Numa linda frase
De um postal tão doce
Cuidado com doce
São Paulo é um buquê
Buquês são flores mortas
Num lindo arranjo
Arranjo lindo feito pra você…”

Zélia Duncan – Lá vou eu

Essa música é uma composição da Rita Lee, interpretada maravilhosamente pela Zélia Duncan. Só ouçam.

“Num apartamento perdido na cidade,
alguém está tentando acreditar
que as coisas vão melhorar ultimamente (…)

Na medida do impossível tá dando pra se viver.
Na cidade de São Paulo, o amor é imprevisível
como você e eu e o céu…”

Fica aqui minha pequena homenagem à essa minha terra querida, que adora me ferrar todos os dias.

I ♥ SP.

Tudo que eu queria te dizer – Martha Medeiros


Quem nunca desejou dizer algo para alguém, mas faltou coragem? Parece que muitas vezes escrever é mais fácil do que falar, e é nessa hora que surge aquela vontade de fazer uma bela carta (ou e-mail), mandar para a pessoa e esperar a resposta que virá (ou não). É essa a situação vivida pelos 35 personagens do livro “Tudo que eu queria te dizer”, de Martha Medeiros.

Existem vários tipos de desabafo no livro, mas o destaque é para os das mulheres e suas crises existenciais, o que é uma das características de Martha (para quem não sabe, ela é autora do livro que deu origem ao combo peça+filme+ série “Divã”).

Inclusive, “Tudo que eu queria te dizer” também deu origem a uma peça, estrelada em 2010/2011 pela maravilhosa Ana Beatriz Nogueira.

Adoro ela

Algumas cartas emocionam, eu gostei especialmente de três, mas é um livro que não chamou tanto a minha atenção. Mas Martha Medeiros é uma ótima escritora e vale a pena conhecer as outras obras dela.

Só um comentário: Procurei um site oficial dela para pegar mais informações e linkar aqui para vocês e não achei. Se alguém conhecer ou achar, deixa aqui nos comentários, por favor. Uma escritora dessa importância não ter nenhum blog ou site…tem que ver isso daí!!
OBS: Semana que vem acabam as minhas férias (vou chorar), então resolvi manter o mesmo esquema do blog antigo: um post por semana, sempre aos sábados. Espero que dê certo 😀