O que é ser um ídolo da música?

O post de hoje é apenas uma reflexão, entre tantas por aí, sobre o cenário musical brasileiro. Há algumas semanas, uma situação exibida no programa Ídolos, da Record, me fez pensar um pouco sobre a relação dos brasileiros com a música. Trata-se da apresentação do candidato Everton Maciel.

Na seletiva do Rio Grande do Sul, o rapaz humilde que gosta de cantar sambas antigos com os amigos arrancou lágrimas da jurada Fafá de Belém ao cantar a música “Naquela mesa”. Para quem não viu, segue o vídeo:

Fafá chorou, eu chorei, o Brasil chorou (ok, menos). Até aí, beleza. O que me chamou a atenção foi a avaliação do jurado Marco Camargo sobre o candidato:

Marco Camargo: “Algumas pessoas vem aqui, não são todas, que emocionam de fato. Como você veio aqui e emocionou. E muito.
Essa sua felicidade que empolgou todo mundo não necessariamente lhe dá um crachá de cantor. Porque o programa é para quem canta, e você não está no nível das pessoas que foram para São Paulo. Que cantam. Talvez essas pessoas jamais cheguem a ter a sua felicidade, a tua simplicidade e até o seu carisma. Mas elas cantam, e por isso foram pra lá. Eu vou ter dar um não, mas eu quero que você saiba que você tem o meu respeito”.

Apesar do “não” de Marco Camargo, Fafá e Supla deram “sim”, e o candidato seguiu na competição. No final da avaliação de Fafá , ela faz uma pergunta para o candidato, que inspirou o título desse post: “Você é um ídolo?”

Pô, o cara cantou bem, arrancou lágrimas de muita gente, tem carisma e ao mesmo tempo é humilde. Por que ele não poderia ser considerado um ídolo, conforme alegou Marco Camargo?

Aí eu parei para pensar nos atuais “ídolos” da música brasileira, para fazer um comparativo e tentar responder essa questão.

Raciocinem comigo:

Luan Santana: Não é um bom cantor
Gustavo Lima: Canta razoavelmente, mas as músicas são, digamos…ruins
Michel Teló: Ele faz música?
Artistas aleatórios (Tchu tcha tcha, Camaro Amarelo e derivados): Alguns dizem que é música, mas…

Ou seja, esse negócio de ser ídolo no Brasil é algo extremamente subjetivo. O que é CANTAR?? Marisa Monte canta. Latino canta. Os dois são ídolos da música. OS DOIS SÃO REALMENTE BONS? Todos sabemos quem deixa a desejar aí.

O rapaz se apresentou com roupas humildes e cantou de forma muito simples. Será que é o vestuário que faz um ídolo? Será que é o fato de gesticular mais, berrar mais ou ter beleza física acentuada que faz com que uma pessoa “cante” mais do que outra?

Enfim, pode ser que isso seja apenas uma estratégia, já que foi divulgado que Everton é um dos 15 finalistas do programa. Mas não deixa de ser curioso com o brasileiro identifica uma pessoa como ídolo da música.

Será a influência da mídia? Será que temos um mal gosto nato? Bom, isso já é assunto para outro post.

Mas, eu que queria saber a opinião dos meus queridos leitores: o que é ser um ídolo da música para vocês?

6 comentários sobre “O que é ser um ídolo da música?

  1. Para mim cantor tem q cantar!entende? nada de playback!ator tem q atuar n ser belo! e assim vai, ser ídolo e ser Michael Jackson ok, depois de um tempo ele começou a usar playback mas como ele tava c problemas e tal a gente perdoa, mas ele sabia dançar, ele sabia o q queria da canção etc. Ele era humilde, ele dava bronca falando vc errou nisso me desculpe mas melhore nisso, e ele respeitava os fãs hj em dia esses caras cobram p tirar fotos, q isso? acho q ele é o q define ídolo p mim! bjo

  2. Felipe Souza

    Primeiro, gostaria de elogiar esse blog que leio há algum tempo e eu nunca comentava. Zica memo esse blog, continue assim, véi!
    Agora sobre esse post. Um ídolo musical é destinado ao público-alvo. Tipo, num baile de sertanejo, por exemplo: o dj vai botar o Painkiller do Judas Priest. Com certeza, o povo vai começar a vaiar. Agora imagina ao contrário: um baile de metal e começa a tocar michel fiofó. Provavelmente o dj vai voltar pra casa de ambulância (brincadeira, mas com certeza a pobre da mãe dele vai ser muito zuada).
    A questão é que tipo: sempre vai ter música boa e ruim com seus respectivos ídolos e fãs. É meio que não dá pra agradar gregos e troianos.
    Já vi certa gente que acha que System Of A Down é só barulho (queria dá um soco na infeliz) e era alguém que gosta de funk e essas porra tudo e ainda paga pau tirando foto fazendo chifre do rock com a mão. Tipo, não tô dizendo que não tem que gostar desse tipo música (por mim, pode gostar do que quiser). Mas não saber diferenciar a boa música da ruim? Véi, isso é uma coisa que não engulo e ainda cuspo na cara da pessoa! Meeuu, como pode achar uma letra que fala de putaria, que tá dançando em balada melhor do que uma letra sobre política e sociedade? Tudo bem que é em inglês, mas porra, né. Se é melhor em alguma coisa, é só pra dançar e olhe lá! Porque se for pra ficar cantando essas porra , é mais fácil ficar só no “instrumental” mesmo. Mas enfim, cada um com seu gosto.
    Bom, acho que escrevi demais aqui. Minha conclusão é essa: um ídolo da música é saber agradar a quem ouve e ser valorizado pelo seu trabalho.

  3. Para mim ídolo era o Michael Jackson, humilde, pedia desculpa qd ensinava como queria a música, era delicado c os fãs, sabia dançar etc!hj em dia esse povo cobra até p darem a mão são uns chatos! enfim!! rs o certo seria a gente ver q somos todos iguais, cantando ou não!! bjo

  4. conheci teu blog hoje e queria te elogiar. parabéns pelo teu trabalho! nada como um blog de verdade, onde o autor coloca realmente o que tem vontade de colocar, a hora que quer, do jeito que julgar correto.
    parabéns mesmo.

Obrigada pelo comentário! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s