Obrigada, Gabriel García Márquez!

Gabriel_Garc_a_M_rquez1

Ontem (17), perdemos um dos maiores escritores da história, o colombiano Gabriel García Márquez. Vítima de infecção respiratória e pneumonia, ele faleceu aos 87 anos deixando um legado de obras belas e inesquecíveis.

Confesso que só li dois livros de Márquez: “Memória de minhas putas tristes” (2004) e sua grande obra prima, “Cem anos de solidão” (1967). Mas só o fato de ter lido o segundo já me fez criar um encantamento por toda sua obra.

Quando li “Cem anos de solidão” (há uns 3 ou 4 anos), tinha um outro blog na época e tentei várias vezes escrever uma resenha. Mas não consegui. O livro tem cerca de 352 páginas, mas a impressão que temos ao terminar a leitura é que acabamos de viver em outra dimensão….o universo de Macondo. Como descrever todas as sensações ao conhecer a família Buendia e todos os habitantes daquela cidadezinha isolada do mundo? Impossível, até hoje não consigo.

Mestre do realismo fantástico, Márquez criou personagens e situações surreais para descrever a pobreza e as maravilhas da América Latina, representadas por 100 anos da história da família Buendia e da cidade de Macondo.

Li textos maravilhosos desde ontem, de fãs e admiradores do escritor que prestam suas últimas homenagens. Meu pequeno post não chega nem perto de tantas palavras bonitas que li por aí, mas o sentimento é o mesmo.

Obrigada, Gabo, pela leitura inesquecível e por mostrar a nossa bela e solitária América Latina ao mundo!!

Mateus Solano encarna (mais um) vilão no filme “Confia em mim”

confiaemmim
Mari (Fernanda Machado) e Caio (Mateus Solano)

Quem nunca confiou em alguém que não merecia nenhuma confiança?

É essa a situação vivida por Mari (Fernando Machado) no filme “Confia em Mim”, dirigido por Michel Tikhomiroff. A jovem é subchefe e tem o sonho de abrir seu próprio restaurante, mas é insegura em relação ao seu talento na culinária. Após uma briga com o patrão, ela decide sair com uma amiga e conhece o misterioso Caio (Mateus Solano).

Depois de alguns encontros, Mari se vê completamente apaixonada por Caio (o homem perfeito que toda mulher sonha), e graças aos incentivos dele decide finalmente investir na abertura do seu restaurante. Tudo perfeito não? Errado! Caio na verdade é um grande golpista de mulheres, e foge com o dinheiro que “espertamente” Mari confiou à ele para o pagamento do negócio.

Decidida a localizar o bandido, Mari se une ao investigador Vicente (Bruno Giordano) e se arrisca para recuperar seu dinheiro e sua dignidade.

Depois do sucesso do personagem Félix na novela “Amor à Vida”, a maior curiosidade em relação ao filme é a participação de Mateus Solano. Não sei se foi pela minha memória recente ou pelo fato de Caio ser também um vilão, mas na primeira metade do filme eu só enxergava Félix na história. Felizmente, em determinado momento Mateus Solano mostrou um outro vilão, completamente diferente do personagem de “Amor á Vida”, e aí sim eu reconheci aquele ator fantástico que me fez vibrar na novela.

Já Fernanda Machado foi muito bem do começo ao fim, em nenhum momento me lembrei da maléfica Leila (também de “Amor à Vida). No geral, a intenção do filme é boa, o suspense realmente acontece, mas existem muitos buracos. Também senti falta de uma boa trilha sonora, que em um filme desse estilo faria muita diferença.

Para quem gosta de assistir algo diferente no cinema nacional, até vale a pena conferir, mas esperem sair em DVD rs.

E minha última dica: Se você, mulher, vai na casa de um cara que só tem mostarda e manteiga na geladeira…cai fora!

Assistam o trailer: