Orange is the new black – 1ª temporada

Orange-is-the-New-Black-02-poster1-e1374452170612-959x1024

Terminei de assistir nesse fim de semana a 1ª temporada da série “Orange is the new black”, produzida pelo Netflix. Para quem não conhece, o Netflix é um serviço de internet que disponibiliza filmes, séries, novelas, etc, e cobra um valor mensal para que os assinantes tenham acesso à esse conteúdo. Além disso, eles também costumam produzir suas próprias séries, e “Orange is the new black” é a mais recente produção.

A história, baseada na biografia homônima da americana Piper Kerman, conta a história de Piper Chapman (Taylor Schilling), uma empresária que vê sua vida mudar ao ser condenada a 15 meses de prisão. O crime: Há 10 anos, ela ajudou a namorada, Alex Vauser (Laura Prepon), a transportar dinheiro em um esquema de tráfico de drogas internacional.

Piper agora é noiva de Larry (Jason Biggs), e conta com o apoio do noivo para superar esses meses em que ficará confinada na penitenciária feminina de Litchfield.

orangeisthenewblack-e1373389549155
Piper Chapman (Taylor Schilling)
WTW-Orange-is-the-New-Black
Piper e Larry (Jason Biggs)

Mas clarooo que passar um tempo na prisão não seria uma tarefa fácil, e a série conta o drama de Piper e de todas as mulheres que estão confinadas com ela.

Orange-is-the-New-Black-1a-temporada-05
Algumas detentas de Litchfield

Assassinas, traficantes, ladras…todas estão lá por algum motivo, mas é difícil não se emocionar e até gostar de algumas delas. Através de alguns (poucos) flashbacks, é possível conhecer um pouco melhor o passado dessas mulheres. Histórias de amizade e de amor existem, mesmo diante da violência (física e moral) que certamente acontece “na vida real” em qualquer sistema penitenciário do mundo.

Apesar dos momentos de comédia, é uma série bem forte, com várias cenas de sexo (principalmente entre mulheres). Quem é da turma do Feliciano e do pai do Félix não vai gostar.

Piper é o tipo de pessoa que atrai confusão naturalmente, e acaba criando algumas inimizades. Manter sua relação com o noivo Larry também é um desafio, já que ele tem uma vida do lado de fora e um relacionamento à distância nunca é fácil. E para piorar, uma de suas companheiras na cadeia é nada mais, nada menos que a sua ex namorada, Alex.

500px-Orange_is_the_New_Black_Clip_-_Piper_and_Alex_Confront_Each_Other
Alex Vauser (Laura Prepon)

Uma das coisas mais legais das séries produzidas pelo Netflix é que as temporadas são disponibilizadas na íntegra. Ou seja, você não é obrigado (a) a esperar uma semana para ver o próximo episódio. Outro ponto positivo é a duração das temporadas, que não costumam passar de 15 episódios.

A segunda temporada já está confirmada para 2014. Se você tem Netflix, recomendo que assista. Se não tem, recomendo que assine logo, pois tem muita coisa boa.

Confiram o trailer:

Eu me lembro

Blog “Eu me lembro”

Contar pequenos momentos da nossa vida para as pessoas é um ato muito comum no dia a dia. Com a internet, temos a possibilidade de compartilhar histórias pessoais com milhões de internautas. Pensando nisso, o Acessa SP criou o blog Eu me lembro, que tem como objetivo publicar pequenos depoimentos das pessoas que costumam frequentar os postos do programa.

A maioria dos textos registrados falam sobre lembranças da infância, dos momentos com os avós, de grandes amores e da saudade de pessoas especiais. Apesar de tratar-se de uma ideia simples, o blog permite que compartilhemos momentos felizes com pessoas desconhecidas, coisa rara hoje em dia. O ser humano anda tão egoísta que muitas vezes não compartilha momentos felizes nem com quem está do lado.

Mesmo quem não frequenta o Acessa SP pode mandar um depoimento pelo blog. O conteúdo é moderado, para evitar algum tipo de ofensa.

As lembranças são bem singelas, separei uma que eu achei bem engraçada rs:

Perdendo um dente

“Eu me lembro que aos 6 anos meu irmão foi me buscar na escola, eu saí correndo na frente dele e me dei com a boca na lixeira, perdi um dente. rs Mesmo Chorando e com a boca cheia de sangue, eu queria ficar para achar o meu dente. Meu irmão me convenceu á ir embora, mas ele voltou para encontrar o dente porque eu só ia me sossegar se encontrasse o meu dente. Foi uma comédia”.

Jacqueline Ferreira Gonçalves, 24 anos. Jaraguá – Jd. Ipanema

Aqui não é o “Eu me lembro”, mas gostei dessa ideia. Resolvi resgatar uma lembrança lá do fundo da minha péssima memória e compartilhar com vocês:

As minhas lembranças mais fortes da infância estão todas relacionadas à escola. Gostava muito de estudar (naquela época), mas os dias mais felizes eram quando eu não ia para a sala de aula, mas sim para a sala de leitura e o laboratório de informática. Amava a sala de leitura pelo motivo óbvio, e mexer no computador naquela época era uma coisa que eu só tinha a oportunidade de fazer na escola (nem sei se existia Lan House na época, e só ganhei meu primeiro PC no meu aniversário de 15 anos). Apesar de ter estudado a vida toda em uma escola pública e nem tão boa, suguei todo o conhecimento que podia. Foi uma época maravilhosa.

E agora é com vocês: Deixem aqui uma lembrança feliz! 🙂